Frete Grátis SUL e SUDESTE acima de R$199,00

Devocional

O pai da fé precisou aprender a confiar completamente em Deus

Publicado em 02.12.2022 |
Visualizações
181 visualizações

Abraão e Sara formavam o casal mais improvável possível para servir de pais de uma grande nação. Mas os propósitos de Deus não estão limitados à possibilidade humana. Então nesse sentido foi um grande passo de fé para Abraão receber a promessa do Senhor.

Algumas ocasiões específicas da vida de Abraão revelaram sua debilidade e imperfeição. Após sair de Harã, Abraão finalmente foi para Canaã. Ali o Senhor mais uma vez apareceu a ele, e lhe garantiu que daria aquela terra à sua descendência. Inclusive, Abraão chegou a edificar altares ao Senhor naquele território.

Mas então veio uma terrível crise naquela região. Abraão tinha de ter confiado em Deus, mas em vez disso ele acabou partindo para o Egito. E no Egito Abraão revelou um tipo de concessão pecaminosa que havia feito com sua esposa. Os dois tinham combinado que esconderiam o seu relacionamento conjugal com o propósito de evitar que Abraão pudesse ser morto por alguém que se interessasse por Sara.

Naquele tempo podia acontecer de maridos estrangeiros serem mortos por homens poderosos de uma cidade que queriam tomar suas esposas. Mas Abraão tinha de ter confiado em Deus. Ele escolheu temer o homem ao invés de temer ao Senhor. Inclusive, Abraão errou da mesma forma no Egito e depois em Gerar (Gênesis 12:10-20; 20:1-18).

Em outra ocasião Abraão aceitou seguir o plano de sua esposa e pegar um atalho para a promessa de Deus de ser pai. Isso lhe trouxe problemas familiares. Nessas ocasiões Abraão poderia ter colocado tudo a perder, porque faltou fé ao pai da fé. No entanto, o Senhor, que é fiel à sua Palavra, evitou que o pior acontecesse, e preservou a família da aliança. Deus cumpre os seus propósitos através do homem e apesar do homem.

Mas em todas as adversidades enfrentadas por Abraão, sua fé estava sendo aperfeiçoada continuamente. Inclusive, a maturidade da fé de Abraão foi revelada quando o Senhor lhe pediu seu filho Isaque em sacrifício. Isaque era o filho da promessa, mas Abraão não hesitou em obedecer ao pedido do Senhor. Inclusive, foi nessa ocasião que o pai da fé foi aprovado na escola da fé. O escritor de Hebreus escreve que a fé de Abraão era tão grande, que ele tinha certeza que Deus era poderoso para até dentre os mortos ressuscitar Isaque (Hebreus 11:18).

O exemplo de Abraão, o pai da fé
Como foi dito, Abraão não era perfeito. Ele precisou ser aperfeiçoado até que pudesse dar grandes saltos de fé. Mas a verdadeira fé levou Abraão a mudar, a obedecer, a confiar, a perseguir um objetivo, a labutar, e a jamais ficar estagnado.

A verdadeira fé sempre está acompanhada de ações corretas, atitudes de obediência e boas obras. O apóstolo Paulo explica que a ação sem fé é pecado (Romanos 14:23). Além disso, sem dúvida o crente é justificado pela fé, mas também é verdade que a fé sem obras é morta (Tiago 2:14-26). A obediência comprova a veracidade da fé.

Com o tempo, Abraão entendeu que a fidelidade da Palavra do Senhor era absoluta. E nesse ponto podemos aprender com o pai da fé que uma vida pela fé é sempre uma vida pautada pela Palavra de Deus. A verdadeira fé nos leva à obediência, e não há outra fonte de conhecimento, não há outra bússola que guia o crente senão a Palavra de Deus.

Como diz Warren Wiersbe, Abraão obedeceu a Deus mesmo quando não sabia onde, como, quando e nem por quê. Mas Quando Abraão, o pai da fé, foi aperfeiçoado pelo Senhor, ele descobriu que nenhuma provação era impossível, que nenhuma dor era insuperável, que nenhum fracasso era permanente.

Aceite os cookies e tenha uma melhor experiência em nosso site, consulte nossa Política de Privacidade.